Quem não tem teto de vidro

O filme Glass fecha a trilogia de Unbreakable e Split

0 11

Qual seria a sua primeira lembrança da vida, aquela que remonta à consciência de estar aqui? Como seriam as consciências?

Neste final de semana assisti Glass, um filme sobre uma suposta organização que há 10 mil anos mapeia, gerencia e destrói qualquer ser humano com habilidades especiais. Fiquei pensando justamente que se existem pessoas com deficiências devem se se existir pessoas com eficiências.

A natureza se aprimora a cada novo ciclo e a nossa mania de grandeza, de querer controlá-la, nos deixa a par de que somos apenas parte dela. A teoria é simples: se nascem pessoas surdas logo com certeza nascem pessoas que ouvem além do dito “normal, se nascem pessoas com dificuldade de aprendizado com certeza nascem pessoas com dificuldade de se manter no mesmo nível de aprendizado do cidadão comum. Se é que algo como “cidadão comum” nesse sentido exista.

Glass remonta história de três pessoas que após sobreviverem por experiências super traumáticas acreditam que possuem força ou habilidades de “super-heróis”. Eu não usaria o termo, falaria de seleção natural. A natureza evolui e encaminha seres e/ou quem sabe anti-vírus para se proteger mas os seres humanos cada vez mais lidam com tudo como se fosse descartável, sejam relações, copos ou corpos. De qualquer forma a natureza tem um limite de até onde ela pode chegar e ela vai se defender com todas as suas forças porque a nossa espécie tende a projetar nos outros animais seus principais defeitos, soberbos de sua suposta inteligência, esquecendo que quando se pensa se bloqueiam os instintos e quando não se vive instintivamente não se é natural.

O filme é o fechamento de outras duas produções, Unbreakable (2000) e Split (2016). O primeiro tem a tradução “Corpo fechado”e traz a realidade do único sobrevivente de um acidente e as impossibilidades de se explicar o ocorrido. A segunda produção que leva o nome de Fragmentado nos apresenta Kevin e suas 23 personalidades que podem ser alteradas quimicamente dentro do seu organismo.

Glass ou na tradução, Vidro, estreiou nos cinemas no dia 07 de janeiro e segue como o filmes de “super-herói” do nosso verão e nos traz a reflexão de qual a primeira memória de algo trágico de que você sobreviveu? Seria você sobre-humano?

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.